Associado

Sobre o autor

WebFarol

WebFarol

Quer contactar este autor? | Website: http://webfarol.com
Criado em domingo, 05 junho 2016 00:26
( 0 Votes ) 
6624 Visualizações Categoria: Respostas Número de comentários: Escrito por WebFarol

A Associação de Solidariedade Social e Recreativa de Nespereira iniciou a sua actividade em 06/09/1999, com a resposta social, Serviço de Apoio Domiciliário, prestando apoio a 40 utentes e com acordo de comparticipação com o Instituto de Segurança Social, para 35 utentes, sendo a sua área de abrangência a freguesia de Nespereira e freguesias limítrofes.

Durante o ano, a ASSRN desenvolve diversas atividades socioculturais e recreativas, contribuindo para a autonomia e bem-estar dos seus utentes.
Estas actividades passam pela comemoração do aniversário dos clientes/utentes, pelo desenvolvimento de atividades desportivas, musicais, aulas de hidroginástica, fisioterapia e diversos ateliers que disponibilizamos a todos os que queiram participar, no Complexo Social Armando Soares e no exterior.

Criado em sábado, 04 junho 2016 17:52
( 0 Votes ) 
6713 Visualizações Categoria: Respostas Número de comentários: Escrito por WebFarol

A modificação da estrutura familiar confluiu na necessidade de desenvolvimento de respostas de apoio ao equilíbrio familiar. Neste sentido, a creche surge como estrutura de apoio social ao desenvolvimento holístico de cada criança, apoiando as famílias e as comunidades envolventes. Deste modo, na creche, a criança deve ser acolhida, estimulada e apoiada com vista ao seu desenvolvimento integrado e holístico.

Por conseguinte, a creche da Associação de Solidariedade Social e Recreativa de Nespereira integra crianças dos 4 meses aos 3 anos, tal como consignado nos referenciais legais vigentes.

A resposta social creche está organizada em unidades autónomas de grupos de crianças, cuja distinção decorre das características específicas das diferentes faixas etárias

Esta distribuição apresenta-se flexível, tendo em consideração a fase de desenvolvimento de cada criança. Neste sentido, o número máximo de crianças é de:

  • 10 crianças até à aquisição da marcha;
  • 14 crianças entre a aquisição da marcha e os 24 meses;
  • 18 crianças entre os 24 e os 36 meses.

Objetivos

  • Proporcionar à criança um ambiente de estabilidade e segurança afetiva, que seja própria ao desenvolvimento global e harmonioso de todas as suas capacidades;
  • Colaborar estritamente com a família numa partilha de cuidados e responsabilidades em todo o processo evolutivo de cada criança;
  • Respeitar as características individuais de cada criança, estimulando comportamentos que favoreçam aprendizagens significativas e diferenciadas;
  • Contribuir para uma boa integração no meio físico e social envolvente, permitindo à criança oportunidade de observar e compreender o que se passa à sua volta de forma a participar de maneira mais adequada;
  • Desenvolver as capacidades de experimentação, comunicação e criatividade;
  • Incentivar a participação das famílias no processo educativo;

Horário de funcionamento da Creche

7h00 – 18h00 (segunda-feira a sexta-feira)

Rotina Diária – Creche

HORA ROTINA
7h00 Abertura
07h45 – 09h30 Atividades livres
09h30 – 10h00 Lanche da manhã
10h00 – 10h15 Higiene
10h15 – 11h20 Acolhimento - Atividades Dirigidas / Recreio
11h20 – 11h30 Higiene
11h30 – 12h30 Almoço
12h30 – 13h00 Higiene / Preparação para o repouso
13h00 – 15h00 Repouso
15h00 – 15h30 Vestir / Higiene
15h30 – 16h00 Lanche da tarde
16h00 – 17h30 Atividades livres / Recreio
17h30 – 18h00 Higiene / Saída

De modo a completar os serviços disponibilizados, a creche da Associação de Solidariedade Social e Recreativa de Nespereira criou um serviço de organização e desenvolvimento de festas de aniversário. O mesmo apresenta um conjunto de atividades de animação (pinturas faciais e modelagem de balões), bem como de organização de todas as questões inerentes à logística de uma festa de aniversário.

Horário

Sábados, em horário a acordar.

Objetivos

  • Promover o envolvimento da comunidade e da instituição;
  • Apoiar o desenvolvimento de atividades de lazer.

Perante as necessidades prementes, decorrentes do alargamento da rede escolar pública e dos compromissos pessoais e profissionais dos encarregados de educação, surgiu a criação e alargamento dos serviços educativos oferecidos por parte da creche da Associação de Solidariedade Social e Recreativa de Nespereira. Neste sentido, foi criado o serviço de OTL (Ocupação de Tempos Livres) destinado a crianças com idades compreendidas entre os 3 e os 8 anos.

As atividades pedagógicas desenvolvidas apresentam-se variadas, desde atividades livres, dirigidas e apoio ao estudo, quando aplicável.

Horário de funcionamento

9h00-17h00 (férias escolares e interrupções letivas, exceto Carnaval)

Objetivos

  • Apoiar o desenvolvimento integral de cada criança, atendendo às suas características individuais, de modo a potenciar aprendizagens significativas e diversificadas, num ambiente seguro;
  • Proporcionar a cada criança condições de afeto, bem-estar e segurança, de modo a fomentar a promoção da saúde individual e coletiva;
  • Valorizar as características individuais específicas e coletivas;
  • Promover o desenvolvimento de diferentes projetos integradores das diversas áreas do saber.

Criado em sábado, 04 junho 2016 17:52
( 0 Votes ) 
7479 Visualizações Categoria: Projetos Número de comentários: Escrito por WebFarol

O Rendimento Social de Inserção (RSI) consiste numa prestação incluída no subsistema de solidariedade e num contrato de inserção, com intuito de conceder aos indivíduos e aos seus agregados familiares apoios adaptados à sua situação pessoal, que contribuam para a satisfação das suas necessidades básicas e que favoreçam a sua progressiva inclusão social, profissional e comunitária.

No âmbito do protocolo estabelecido entre a Associação de Solidariedade Social e Recreativa de Nespereira (ASSRN) e o Instituto de Segurança Social, I.P. está em funcionamento desde novembro de 2007, com renovações em 2009, 2011, 2014 e 2016, a equipa multidisciplinar da medida Rendimento Social de Inserção (RSI), a qual é constituída por uma assistente social, uma educadora social, uma psicóloga e três ajudantes de ação direta.

Atualmente com protocolo que pressupõe o acompanhamento de 163 famílias, a equipa “ReAgir” encontra-se a desenvolver a sua intervenção junto de 237 famílias, residentes nas freguesias de Cinfães, Ferreiros de Tendais, Fornelos, Moimenta, Nespereira, Oliveira do Douro, Santiago de Piães, Tendais, Travanca e União de Freguesias de Alhões, Bustelo, Gralheira e Ramires, perfazendo um total de 500 beneficiários/as.

EQUIPA

  • Assistente Social – Vera Duarte
  • Educadora Social – Irene Pereira
  • Psicóloga – Daniela Carvalho

Ajudantes de Ação Direta:

  • Bruna Pinto;
  • Fátima Mendes;
  • Teresa Leitão.

Segunda-feira a sexta-feira: 09:00h às 13:00h e das 14:00h às 17:00h

Atendimentos de Serviço Social e Psicologia:

  • ASSRNespereira – todas as segundas-feiras, das 09:00-13:00;
  • Serviço Local de Segurança Social de Cinfães – 1.ª quinta-feira do mês, das 10:00h – 12:30h;
  • Junta de Freguesia de Oliveira do Douro – 2.ª quarta-feira do mês, das 10:00h – 12:30h;
  • Junta de Freguesia de Travanca – 1.ª terça-feira do mês, das 10:00h – 12:30h*;
  • Junta de Freguesia de Moimenta – 1.ª terça-feira do mês, das 14:30h – 16:30h*;
  • Junta de Freguesia de Santiago de Piães – 1.ª quinta-feira do mês, das 14:30h – 16:30h*;
  • Junta de Freguesia/Centro Social e Paroquial de Tendais – 2.ª terça-feira do mês, das 10:00h – 12:30h*;
  • União de Freguesias de Alhões, Bustelo, Ramires e Gralheira – 2.ª terça-feira do mês, 14:30h – 16:30h*;
  • Junta de freguesia de Ferreiros de Tendais – 2.ª quarta-feira do mês, 14:30h – 16:30h*.
*Atendimentos realizados por marcação prévia

Os atendimentos da Educadora Social serão realizados sempre que se justifique.

A metodologia de trabalho utilizada engloba o trabalho em parceria, em rede e de proximidade com as famílias beneficiárias e a comunidade.

A intervenção assenta em três dimensões: individual, familiar e comunitária. A dimensão individual preconiza a inserção social e a participação ativa dos beneficiários, a familiar implica a corresponsabilização por parte dos vários atores familiares o envolvimento no programa para que haja um crescimento coletivo da família, e a comunitária que permite a personalização do acompanhamento social, inclui uma visão mais ampla das problemáticas das comunidades onde os beneficiários estão inseridos.

Estratégias de Intervenção

Desta forma a equipa adopta diversas estratégias de intervenção:

  • Atendimento e acompanhamento ao nível da prestação atribuída;
  • Definição, implementação e concretização do contrato de inserção;
  • Acompanhamento e avaliação das ações que integram o contrato de inserção;
  • Atendimento e acompanhamento psicológico e psicossocial;
  • Realização de visitas domiciliárias e acompanhamento e intervenção no terreno;
  • Dinamização de ações e/ou sessões de grupo;
  • Sensibilização para a importância escolar/ articulação com a comunidade educativa de crianças e jovens;
  • Articulação com entidades, públicas e privadas, com responsabilidades sociais, ao nível do concelho e distrito;
  • Avaliação contínua e monotorização dos resultados;
  • Reforço das relações interinstitucionais para uma intervenção em rede.
  • O projeto” Mexe-te” pretende promover as competências pessoais, sociais e profissionais, bem como, promover a procura ativa de emprego;
  • O projeto “Hakuna Matata” surge da expressão de um filme de animação “O Rei Leão” que significa “sem problemas”, onde se pretende como o próprio nome indica trabalhar competências pessoais e sociais de uma forma lúdico e pedagógica em períodos de interrupção letiva, com crianças e jovens beneficiários/as;
  • O projeto “Ser Mindfulness” consiste em treinar a mente para conseguir ver e interpretar tudo na nossa vida de forma positiva e construtiva, promovendo benefícios na manutenção de melhorias de saúde e bem-estar. Os objetivos das sessões em grupo, centram-se na redução do stress, da ansiedade, da depressão e da dor crónica, bem como no aumento da concentração e da sensação de satisfação com o próprio/a beneficiário/a com a vida;
  • O projeto “AtivaMente” surge da reformulação de outros projetos, como “Oficina das Relíquias”, “Respirar Arte” e “Hoje não Obrigado” e tal como o nome indica o objetivo principal é ativar a mente dos/as beneficiários/as através de sessões individuais e em grupo relacionados com os problemas de alcoolismo, isolamento social, défices cognitivos e perturbações psicológicas;
  • Projeto “Fada do Lar” ambiciona sensibilizar os beneficiários para a importância da organização e gestão familiar. Facultar ferramentas que facilitem a adaptação dos beneficiários às mudanças provocadas pela conjuntura económica atual;
  • O projeto “De Gata Borralheira a Cinderela” foca-se numa construção de autovalorização de autoimagem que pretende estimular competências psicossociais, cognitivas e de relacionamento interpessoal.
  • Decreto-Lei n.º 126-A/2017, de 6 de outubro
    Cria a prestação social para a inclusão, alarga o complemento solidário para idosos aos titulares da pensão de invalidez e promove os ajustamentos necessários noutras prestações sociais.
  • Portaria n.º 253/2017, de 8 de agosto
    Procede à alteração da Portaria n.º 257/2012, de 27 de agosto, alterada pelos DL n.º 13/2013, de 25 de janeiro, e 1/2016, de 6 de janeiro, e pela Portaria n.º 5/2017, de 3 de janeiro, relativa à atribuição do RSI.
  • Portaria n.º 5/2017, de 3 de janeiro
    Altera o artigo 31.º da Portaria n.º 257/2012, de 27 de agosto, alterada pelos Decretos-Leis n.ºs 13/2013, de 25 de janeiro e 1/2016, de 6 janeiro. Atualiza valor do rendimento social de inserção para 43,634% do valor do IAS, fixando-se o valor de referência do RSI para 2017.
  • Portaria n.º 4/2017, de 3 de janeiro
    Atualiza o valor do indexante dos apoios sociais (IAS) para o ano de 2017.
  • Decreto-Lei n.º 1/2016, de 6 de janeiro
    Altera a escala de equivalência aplicável à determinação do montante do Rendimento Social de Inserção (RSI) a atribuir, prevista na Lei n.º 13/2003, de 21 de maio e atualiza o valor de referência do RSI, indexado ao valor do IAS, previsto na Portaria n.º 257/2012, de 27 de agosto.
  • Portaria n.º 257/2012, de 27 de agosto
    Estabelece as normas de execução da Lei n.º 13/2003, de 21 de maio, que institui o rendimento social de inserção e procede à fixação do valor do rendimento social de inserção (RSI).
  • Lei n.º 13/2003, de 21 de maio republicada, pela Declaração Retificação n.º 7/2003, de 29 de maio, alterada pela Lei n.º45/2005, de 29 de agosto, pelo Decreto-Lei n.º 70/2010, de 16 de junho, pelo Decreto-lei n.º 133/2012, de 27 de junho, e pelo Decreto-Lei n.º 90/2017, de 28 de julho, que também a republica.
  • Lei n.º 4/2007, de 16 de janeiro
    Lei de bases da Segurança Social.

Portais com Interesse

  • http://www.seg-social.pt
    Portal do Cidadão
  • http://www.portaldocidadao.pt
    Comissão Nacional de Reinserção Social de Inserção
  • http://www.cnpcjr.pt
    Comissão nacional de Proteção de Crianças e Jovens em Risco

Criado em sábado, 04 junho 2016 17:52
( 0 Votes ) 
6687 Visualizações Categoria: Projetos Número de comentários: Escrito por WebFarol

ADemência é uma síndrome com múltiplas causas, com características gerais comuns a todas as suas formas mas com características próprias que individualizam cada uma delas, daí justificar-se falar em Demências, no plural. Caracterizam-se geralmente por alterações ao nível cerebral com declínio progressivo do funcionamento da pessoa, nomeadamente com perda de memória, de capacidades intelectuais, de raciocínio, de competências sociais, de alterações das reacções emocionais normais. Para além do impacto ao nível pessoal, apresentam também graves repercussões ao nível familiar, profissional, económico e social.

Constituem a expressão clínica de várias entidades patológicas, sendo a Doença de Alzheimer (DA) a mais prevalente, responsável por 50-70% dos casos. A Organização Mundial de Saúde (OMS) indica que a cada 4 segundos é diagnosticado um novo caso de Demência. A incidência global tem vindo a aumentar drasticamente nas últimas décadas, sendo a idade o principal fator de risco. Verifica-se uma grande prevalência de casos na população acima dos 60 anos e nos grupos etários acima dos 80 anos encontram-se mais de 64% de pessoas com Demência.

O reconhecimento da importância das demências no panorama epidemiológico atual é ponto de partida obrigatório para a definição das estratégias institucionais de apoio e tratamento em Portugal. As atuais tendências demográficas nacionais traduzem um aumento continuado da esperança média de vida à nascença, a redução da mortalidade infantil, o aumento da emigração, a queda abrupta de fecundidade e um consequente envelhecimento da população. O crescimento da população idosa no nosso país parece acompanhar um crescimento do número de casos, sendo expectável que este continue a aumentar.

O diagnóstico é complexo, implica recursos pouco acessíveis a alguma população e por isso está subdiagnosticada ao nível das estruturas primárias de saúde ou de institucionalização. O diagnóstico facilita a implementação das estratégias de intervenção mais adequadas e promove a obtenção de resultados terapêuticos positivos.

É neste sentido que se enquadra o crescente interesse da Associação de Solidariedade Social e Recreativa de Nespereira (ASSRNespereira). Em sintonia com o apelo feito pela OMS aos governos de todo o mundo, para o desenvolvimento de um Plano Nacional para as Demências, também nós estabelecemos para a nossa Associação novos objetivos, aumentamos os nossos recursos, para proporcionar uma resposta de maior qualidade e que traduza uma melhoria da qualidade da assistência prestada aos nossos utentes e consequentemente melhoria da sua qualidade de vida.

Tendo como ponto de partida algum estudo e acompanhamento da problemática, que vem sendo feito pela instituição e para o qual têm sido sensibilizados os seus técnicos, foi admitida recentemente uma psicóloga clínica para a instituição, que estará em 50% do seu tempo de trabalho, afeta a esta questão, coordenando a equipa do projecto ReViver.

Esta equipa é constituída por três técnicos, sendo a colaboradora já em funções, a coordenadora do projecto, por ter já iniciado o trabalho de base e por possuir experiência nesse domínio.

À coordenadora junta-se um psicólogo e uma educadora social, na medida em que sob coordenação da primeira, o segundo está profissionalmente mais habilitado para a fase de diagnóstico, enquanto a terceira, está profissionalmente habilitada para um trabalho de atuação quotidiana.

Naturalmente que este trabalho que idealizamos para atuar junto da ASSRN e da comunidade envolvente, tal como acontece com a problemática que deu aso à necessidade, é transversal e será benéfico se aplicado à generalidade das IPSS do Concelho de Cinfães.

Através do psicólogo da equipa, deverá ser efectuado um trabalho de diagnóstico a desenvolver em colaboração com os responsáveis técnicos, clínicos e/ou de enfermagem das instituições, sendo que através do Educador Social , deverá promover-se a atuação prática, desenvolvida em colaboração estreita entre outros, com os animadores sociais das instituições.

Esta equipa, tem ainda a responsabilidade de orientar formativamente, técnicos e auxiliares das IPSS do Concelho, que tenham as respostas sociais SAD, ERPI e Centro de Dia.

Esta equipa tem também a responsabilidade de promover ações de sensibilização junto da comunidade, chamando a atenção e dando pistas sobre a abordagem a ter perante um caso concreto ou a suspeita da sua existência, na medida em que os cuidadores não institucionais também carecem de informação e orientação.

Naturalmente que um projeto desta dimensão e com o interesse social que tem para o Município, só poderia ser levado a cabo com o envolvimento da autarquia. Propõs-se assim um projecto piloto de 24 meses, findo o qual seria feita a avaliação por parte da instituição e da autarquia, sobre a viabilidade e interesse da renovação do protocolo.

A A.S.S.R.Nespereira propõs-se organizar e sediar a equipa, conferindo-lhe as condições logísticas para a preparação e desenvolvimento do seu trabalho, responsabilizando-se pela parte burocrática do mesmo.

Promover-se-á o envolvimento das demais IPSS e eventualmente das autarquias paroquiais (juntas de freguesia), acautelando por certo a logística nas deslocações para fora da sede do projeto.

O Município entendeu aceitar, mas atento o período eleitoral do ano de 2017, fê-lo apenas pelo período inicial de 1 ano.

Para além da intenção de efectuar a prorrogação do projecto, por pelo menos mais um ano, preferencialmente dois, recorrendo à renovação do protocolo, ou a parceria privada, é nossa intenção e está em marcha a afectação da parte clínica ao projecto, tendo já uma neurocirurgiã, a dar algum acompanhamento voluntário, mas pretendendo desenvolver mecanismos, parcerias, que possam permitir a afectação de um neurologista e um enfermeiro ao projeto.

Gostaríamos ainda de criar um espaço para sala de snoozen.

Criado em sábado, 04 junho 2016 17:03
( 0 Votes ) 
8308 Visualizações Categoria: Respostas Número de comentários: Escrito por WebFarol

  • Na resposta social lar, acolhemos pessoas idosas cuja situação social, familiar, económica e/ou de saúde, não lhes permite permanecer no seu meio habitual de vida;
  • Asseguramos a prestação dos cuidados adequados à satisfação das suas necessidades, tendo em vista a manutenção da autonomia e independência; proporcionamos alojamento temporário, como forma de apoio à família;
  • Criamos condições que permitam preservar e incentivar a relação inter-familiar;
  • Encaminhamos e acompanhamos as pessoas idosas para soluções adequadas à sua situação.

É importante realizar-se o Plano de Cuidados Individual (PCI), no sentido de serem apuradas as necessidades e expectativas reais de cada utente e fazer-se um acompanhamento personalizado.
Ao nível colectivo, as actividades permitem a integração social dos idosos, tanto na comunidade em que se encontra o edifício, como no relacionamento dos residentes na instituição. Assim, actividades lúdico-recreativas (ateliers de artes plásticas, florais, de costura), desportivas (promovam a actividade física e o bem-estar dos utente), actividades de jardinagem e de produção agrícola, bem como os passeios ao exterior, são momentos que permitem a ocupação dos tempos livres e promovem o equilíbrio psico-emocional do idoso.

Pessoas de 65 ou mais anos e/ou pessoas dependentes, independentemente da idade, cuja situação não lhes permita permanecer no seu meio habitual de vida, num total máximo de 46 utentes e protocolo com o instituto de segurança social para 40 utentes.

Criado em sábado, 04 junho 2016 01:54
( 0 Votes ) 
5876 Visualizações Categoria: Instituição Número de comentários: Escrito por WebFarol

MISSÃO

Promover serviços de excelência, para melhorar a qualidade de vida da comunidade

VISÃO

Ser uma instituição de referência na criação e promoção de serviços em envolvimento com a comunidade.

VALORES

incentivar a partilha para uma melhor coesão social;

promover bem-estar;

saber ser, saber estar e saber fazer;

sermos agentes da mudança implementando práticas de excelência;

criar oportunidades para a integração na sociedade;

envolver todos na nossa missão.

Criado em quinta-feira, 26 maio 2016 21:23
( 0 Votes ) 
8050 Visualizações Categoria: Instituição Número de comentários: Escrito por WebFarol

Quando em 1979, no extinto jornal "O Nespereirense" por si dirigido, o Pe. Justino Lopes levantava a questão da necessidade de um lar de idosos em Nespereira, poucos ousariam pensar nisso como uma possibilidade real.

Poucos mas alguns, como por exemplo o saudoso Alfredo Monteiro Valente que ao longo dos anos foi juntamente com o referido pároco, lançando sementes de motivação na opinião pública.

Tentando facilitar a questão na parte burocrática e cumprir o sonho, Armando Sousa Soares equacionou a hipótese de ser a Santa Casa da Misericórdia de Cinfães a promover o pretendido Lar de Nespereira.

Contudo, na primeira metade dos anos 90, Ricardo Lima Teles profissionalmente ligado à Segurança Social, lança mãos à obra e em 23 de maio de 1995, funda juntamente com outros 15 elementos, a Associação de Solidariedade Social e Recreativa de Nespereira, para a qual obtêm o estatuto de IPSS (Instituição Particular de Solidariedade Social), vindo a ser também o primeiro presidente da Direção, no triénio 1996/1999, um mandato sobretudo dedicado a questões burocráticas.

É nesta altura associado o primeiro logotipo, bastante simples mas ao mesmo tempo carregado de significado, com duas mãos que se unem, em sinal de solidariedade e cooperação, palavras-chave na ação da associação.

No triénio seguinte, já sob presidência de Alfredo Soares Valente, utilizando e remodelando instalações da paróquia em S.Brás, tem início a aceitação de utentes para o Serviço de Apoio Domiciliário, sendo o primeiro deles José da Silva Gonçalves, conhecido como o “Zé do Meio Quilo”.

É também neste período que a Enf.ª Fátima Sousa cria a primeira equipa de voluntariado, com 20 elementos, que aos finais de semana alternadamente passaram a proceder à entrega das refeições.

Alfredo Soares Valente, presidiria ainda durante novo mandato, num período em que começou a ser executado o projeto de construção do Lar a edificar na Quinta do Tojal, oferecida pelo benemérito e presidente da Assembleia Geral desde a primeira hora, Armando de Sousa Soares, ao passo que a associação ia crescendo, sobretudo a nível dos recursos humanos.

Em 2005, assume a presidência Bernardo Oliveira, num curto trajeto que abandonaria meses depois, sendo substituído pela então vice-presidente, Enf.ª Fátima Sousa.

Tem início uma redefinição estrutural, visando alargar o âmbito da ação social da associação, bem como o território a intervir.

Em 2007 a instituição recebe a Equipa RSI (Rendimento Social de Inserção), num apoio alargado a 4 freguesias (Nespereira, Travanca, Moimenta e Fornelos) e cria a Empresa de Inserção que desenvolve uma política de integração de desempregados no ramo agrícola.

No final desse ano, a associação abandona o projeto de construção existente, que por questões técnicas não reuniu os necessários requisitos para aprovação, e candidata novo projeto, já contemplando uma creche também, que viria a ser aprovado no programa Pares II, e cujo protocolo foi assinado em 29 de março de 2008.

Fruto desta dinâmica e de uma nova realidade, é lançado também o concurso de ideias para a criação de um novo logotipo, hoje em utilização, significando humanos dando as mãos num círculo sobre Nespereira e sobre a Associação. A escolha de três exprime o significado do próprio número: fé, esperança e solidariedade.

Em 20 de março de 2009, um dia memorável, com a assinatura do Auto de Consignação do Complexo Social Armando Soares e o início imediato das obras.

No mês de maio de 2009 a associação recebe um novo projecto, pioneiro no concelho, o Contrato Local de Desenvolvimento Social que procura combater a pobreza e a exclusão social no Concelho de Cinfães, através do recurso a parcerias, um projeto que se manteve no ciclo previsto até 2012.

Em finais de 2012 a abertura de portas do Complexo Social, foi a realização de um sonho, que ganhou contornos oficiais em 13 de setembro de 2013, com a inauguração formal.

2014 começa com uma alteração nos corpos sociais, de onde resulta que à frente dos destinos da associação, passe a estar um habitual colaborador da associação, Cláudio Oliveira, que apostou essencialmente no ajustamento, formação e qualificação dos recursos humanos, bem como na disponibilização de novos serviços aos utentes, sobretudo na área clínica.

A aposta efectiva na Creche e no Apoio Domiciliário, bem como a continuidade da política na Estrutura Residencial (Lar), fazem com que hoje todas as valências tenham patamares de ocupação total ou próxima disso.

Da Segurança Social, a confiança e o alargamento do protocolo do RSI a 10 das 14 freguesias do Concelho e do IEFP a autorização para alargar as áreas de atividade da Empresa de Inserção, esta última entretanto finda enquanto programa financiado.

No final de 2015, mais um projecto atribuído pela Segurança Social, o SAAS (Serviço de atendimento e acompanhamento social) do Concelho de Cinfães, no âmbito da RLIS (Rede Local de Intervenção Social).

Nos últimos anos, o incremento de algumas parcerias, tem também procurado proporcionar mais e melhores condições a utentes e associados da instituição.

O final de 2016 trouxe mais uma excelente novidade e a concretização de um sonho dos atuais dirigentes da instituição, a passagem ao terreno do projeto ReViver, uma equipa cuja ação incide na área das demências, no diagnóstico e intervenção social.

Este projeto mereceu da parte do Município, a celebração de um protocolo, garantindo assim uma intervenção de âmbito municipal.

Se 2016 terminou bem, 2017 e o novo mandato liderado por Cláudio Oliveira, começou de uma forma totalmente inesperada com o anúncio do Presidente da República,Marcelo Rebelo de Sousa, de um donativo que entendeu fazer de parte do excedente da sua campanha eleitoral.

Mais que o valor pecuniário, este gesto deu à instituição uma visibilidade que mostrou ao país o excelente trabalho desenvolvido e que fez por isso mesmo, com que fosse a ASSR Nespereira, a escolha do Presidente, para esse donativo.

Depois de uma primeira receção à Direção da instituição, feita em Lisboa a 5 de março de 2017, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, visitou a instituição a 8 de maio desse ano, assinalando assim um momento ímpar e inolvidável na história da ASSR Nespereira.

O primeiro logótipo da Associação surgiu da escolha efetuada pela direção e o grupo de voluntariado em 1999, representando o aperto de duas mãos, foi alterado para o atual através de um concurso de ideias, o trabalho vencedor foi do Dr. Pedro Semblano, tendo por base os seguintes critérios: a escolha do tipo de letra recaiu no Tw Cen MT Condensed Extra bold pela harmonia e pouca vulgaridade.

Nespereira o local da fundação e sede assume a cor verde, cor da freguesia e que simboliza acima de tudo o vigor e a esperança. Associação de solidariedade social e recreativa, como parte de Nespereira e terras vizinhas assumiu o castanho que personaliza a cor da terra, a maturidade e a responsabilidade.

Os três elementos figurados personificando seres humanos dando as mãos num círculo sobre Nespereira e sobre a Associação. A escolha de três exprime o próprio significado do número: fé, esperança e solidariedade, sendo que as três figuras envoltas no nome personificam a infância, a juventude e a terceira idade (alvos da associação).

As cores das figuras: Vermelho – personifica o sentimento; Verde – personifica o vigor, juventude e esperança; Azul – personifica o céu, o espírito e o horizonte. A alteração do logótipo foi aprovada em reunião de Assembleia Geral a 25 de outubro de 2008.

Logótipo

Criado em sexta-feira, 01 abril 2016 21:42
( 0 Votes ) 
941 Visualizações Categoria: Notícias Número de comentários: Escrito por WebFarol

Qualidade...não é para nós palavra vã. Aliás, não é para nós uma mera palavra.

A ASSRN prima pela qualidade nas suas instalações, nos seus equipamentos, mas sobretudo nos serviços prestados.

A melhor e maior das certificações é sem sombra de dúvida aquela que resulta da opinião de clientes, fornecedores, parceiros institucionais e claro dos colaboradores.

Ainda assim e para aferir dessa realidade em termos formais e legais, a nossa instituição encontra-se desde janeiro deste ano, a implementar um sistema de gestão da qualidade, a cargo da empresa Qual In.

Criado em sexta-feira, 01 abril 2016 21:35
( 1 Vote ) 
876 Visualizações Categoria: Notícias Número de comentários: Escrito por WebFarol

O sonho de uma Europa Social que constitui o projeto inicial da União Europeia encontra-se seriamente em risco. Este e muitos outros acontecimentos recentes levam-nos a questionar até que ponto se caminha para a erradicação da pobreza e da exclusão social. Ou se, pelo contrário, caminhamos para o seu agravamento, sobretudo, para o aumento da disparidade na distribuição do rendimento entre países e pessoas.

Neste 17 de outubro, data assinalada pela ONU desde 1987, a EAPN Portugal, apela, neste Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, para a urgência de travar este flagelo a nível europeu e mundial. A crise humanitária que vivemos, na sequência de guerras e conflitos, tendo como consequência mais visível uma enorme vaga de refugiados, e a incerteza na tomada de decisão por parte dos líderes europeus face a este fenómeno, as consequentes manifestações xenófobas a que vamos assistindo um pouco por toda a Europa, questionando a indispensável solidariedade no seio da União Europeia, levam-nos a temer um futuro de forte instabilidade e desesperança.

Consideramos que a pobreza não é um problema de escassez de recursos. Se evitarmos a ganância e o desperdício e partilharmos o que temos de forma equitativa e sustentável, através de uma distribuição mais justa, é possível erradicar a pobreza! Não se trata de utopia, trata-se de encarar o problema de uma outra forma, focando a atenção na estabilidade económica e social ao nível global, numa lógica de desenvolvimento sustentável.

Isto mesmo voltou a ser reafirmado pelas Nações Unidas: A luta contra a Pobreza permanece um dos principais Objectivos do Milénio e no desenvolvimento da Agenda Pós-2015 declara-se a necessidade de acabar com a Pobreza em todas as suas formas e em todos os países, até 2030.

Se olharmos apenas para os números, sabendo que é preciso ir muito para além deles, ficaremos assustados com as crianças que, em Portugal, se encontram em risco de pobreza e ou exclusão social; e ficamos igualmente assustados com os números da emigração e com os números do desemprego jovem. Estamos a falar das novas gerações, daquelas que irão escrever o futuro de Portugal. E estas novas gerações não têm uma herança muito promissora, não vislumbram oportunidades no nosso país e não se encontram confiantes para encarar os múltiplos desafios que se avizinham.

E quando nos voltamos para a população idosa do nosso país, voltamos a temer o pior. O índice de envelhecimento da população é elevadíssimo e com projeções de longo prazo muito pouco animadoras. Quanto aos adultos em idade ativa, observamos que se mantém elevadas taxas de desemprego jovem e desemprego de longa duração e, acima de tudo, verificamos que o número de trabalhadores pobres é surpreendentemente alto e não está necessariamente relacionado com o fenómeno da crise - sempre assim foi. Em Portugal, a mão-de-obra é mal paga e o emprego precário predomina levando ao aumento das desigualdades, afetando em primeira instância as mulheres.

Este é o retrato breve do país real! E no dia em que se assinala a erradicação da pobreza urge um alerta! Neste dia e em todos os outros, levantamos incansavelmente a voz! Porque é esta a nossa missão: fazermos tudo para conduzir à mudança!

“Mas só há verdadeira mudança quando esta acontece no coração e na mente de cada um. Só Deus nos conduz à liberdade plena”, sublinha, o presidente da EAPN Portugal, Padre Jardim Moreira.

Insistimos: É crucial que Portugal defina uma estratégia nacional para a erradicação da Pobreza. Contamos com todos os portugueses e, especialmente, com aqueles que experienciam a pobreza todos os dias e que chamamos a nós para que se façam ouvir. Não para impressionar mas para despertar a consciência coletiva, particularmente a política que não pode, de forma nenhuma, alegar desconhecimento para a falta de ação.

Neste dia, reforçamos a urgência de definir e implementar uma estratégia nacional para erradicar a pobreza e a exclusão social.

Nós mantemos a determinação! Que a vontade política se torne instrumento eficaz e eficiente. Em nome de um país; em nome dos europeus que ainda sonham e dos que gostariam de voltar a sonhar.

Criado em sexta-feira, 01 abril 2016 21:03
( 0 Votes ) 
843 Visualizações Categoria: Notícias Número de comentários: Escrito por WebFarol

Depois da primeira experiência no Verão passado, e de ter depois feito programas de Natal e Páscoa, a Associação de Solidariedade Social e Recreativa de Nespereira vai levar a cabo, o OTL Férias de Verão, entre os dias 14 de julho e 14 de agosto, excetuando os finais de semana, no período entre as 9h e as 17h. As inscrições estão abertas até dia 9 de julho, para crianças entre os 3 e os 8 anos de idade.